Labradores.com no telemóvel!

21 de junho de 2007

Sentidos e Instintos

Desde de que começou o processo de domesticação, a reprodução selectiva ao longo de 4000 gerações, ou mais, mudou a aparência física de alguns cães.
Mas mesmo o minúsculo Chihuahua mantém ainda muitas das características comportamentais do seu antecessor, o lobo.
Tal como o lobo, o cão doméstico comunica por meio de sons e linguagem corporal, sendo as suas orelhas extremamente expressivas. Do seu antecessor herdou também o instinto gregário.


Audição

Os cães têm normalmente uma audição muito apurada e conseguem ouvir sons não perceptíveis ao ouvido humano. A audição ajuda os cães na perseguição da presa e na comunicação entre si.
Recentemente os cães começaram a ser utilizados para ajudar pessoas surdas, e alguns estão treinados para indicar certos sons como o do toque do telefone.


Comunicação

Os lobos mantêm-se em contacto uns com os outros uivando, um meio de comunicação bem desenvolvido pelas raças do norte, que trabalham em grupo.
Os Hounds seguindo o "cheiro" da caça podem também latir, o que é útil para o caçador quando não os tem à vista.


Visão

A posição dos olhos do cão faculta um campo de visão mais amplo que o do homem.
Os cães têm também melhor visão que o homem, quando há pouca luz, porque as células da sua retina, onde a imagem é focada, respondem bem a uma luminosidade baixa. Contudo têm percepção da cor limitada.

Olfacto

O apurado sentido do olfacto comum a todos os cães está mais desenvolvido em algumas raças como o Bloodhound, que o utiliza para seguir a caça. Os cães confiam no seu olfacto para detectar as partículas de cheiro.


Marcação pelo Cheiro

A urina do cão contém substâncias químicas (feromonas) que constituem um autêntico bilhete de identidade do animal.
Um macho demarca os limites do seu território aos outros cães usando a urina como marcador. O cão macho adulto urina levantando a perna, em vez de agachar-se como faz a cadela, para atingir um marco que pode ser uma árvore ou um poste.
Podem também raspar o chão, para aí deixar o cheiro próprio das glândulas dos dedos.
A marcação pelo cheiro é diferente no cão e na cadela, e o macho urina três vezes mais que a fêmea.


Agressão

Cães (machos) que se encontram em situação de antagonismo levam a cabo uma bem defenida série de atitudes, indicando submissão (abaixo), ou expressando agressão, sem atacar de imediato. O cão permanece direito, cauda semi-erecta, pêlo eriçado ao longo da espinha. O mandibular estica-se para diante e os lábios enrrugam-se numa rosnadela.


Submissão

Se um cão que render-se, provavelmente deitar-se-á com a cauda para baixo. Em alguns casos poderá fugir perseguido pelo cão vencedor.
Outra hipótese é a de rolar sobre si mesmo, como um cachorro, urinando um pouco se não tiver possibilidade de fuga. Um cão submisso não é normalmente atacado.


Companhia

Apesar da sua necessidade de criar uma "hierarquia", os cães são sociáveis poer excelência e normalmente dão-se bem em grupo. Os cães de companhia são educados no sentido de serem menos barulhentos que os hounds, dado que ladrar não é considerado um comportamento desejável quando se vive na intinidade das pessoas.
Um cão de companhia apenas agita a cauda e abre ligeiramentre a boca quando entra em casa um membro da família.


2 comentários:

Raquel - raquelcboff@hotmail.com disse...

Olá

Recentemente adotei dois filhotes labradores. Agora eles tem 4 meses. Um é amarelo e outro preto. Eles são muito queridos, mas tenho dificuldades em fazer com que me obedeçam. ás vezes eles brigam muito, de verdade. E não se soltam. O veterinário diz que são cães dóceis e que apenas brincam, mas vejo que eles brigam de verdade e se machucam pois já são bem fortinhos. ´será que é possível a convivência, ou os dois terão de ser separados?

Anónimo disse...

necessario verificar:)